7 tendências para a área da saúde em 2024

O ano de 2024 promete ser um marco para a área da saúde, que vem passando por muitas transformações. 

A digitalização e o foco na saúde dos pacientes são os principais fatores que impulsionam essas mudanças, que trazem benefícios tanto para os profissionais quanto para os usuários dos serviços de saúde. 

A saúde digital ganhou as atenções de instituições, médicos e pesquisadores nos últimos anos devido ao avanço de tecnologias como o 5G, a Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning (ML), que permitem fazer análises de dados otimizadas e automatizar processos para melhorar diagnósticos e a otimizar os tratamentos

Mas a tecnologia não é o único elemento que define o futuro da saúde. O atendimento mais humanizado também é uma tendência que vem ganhando força, pois reconhece a importância de considerar os aspectos emocionais, sociais e culturais dos pacientes, além dos seus aspectos clínicos.  

Essas são apenas algumas das tendências e novas tecnologias que devem marcar o ano de 2024 na área da saúde e na medicina. 

Se você quer saber com mais detalhes o que esperar desse setor tão importante e dinâmico, continue lendo esse Guia SyOS

1 – Digitalização de processos e melhores experiências de atendimento 

área da saúde

A digitalização de processos é uma tendência que vem transformando diversos setores, mas principalmente a saúde. 

Ela permite oferecer melhores experiências de atendimento desde o diagnóstico até o tratamento, assim como um melhor controle de qualidade de produtos e processos

A digitalização deve ajudar a tornar os Programas de Suporte ao Paciente (PSP) mais eficientes, com iniciativas que visam melhorar a qualidade de vida e a adesão a tratamentos, por meio de ações de conscientização, orientação, monitoramento e assistência organizadas em plataformas digitais e conectadas com bancos de dados robustos. 

Os PSP também devem contar o crescente apoio de assistentes virtuais de saúde, como os chatbots. Esses assistentes podem interagir com os pacientes por meio de texto ou voz em contatos iniciais, otimizando a coleta de dados

Além disso, assistentes virtuais são bem-vistos pelos pacientes quando fornecem informações de maneira rápida, sem filas de espera, assim como em tarefas como a marcação de consultas e o envio de lembretes sobre a posologia de um tratamento. 

Registros eletrônicos de saúde 

Outro aspecto importante da digitalização é o avanço dos registros eletrônicos de dados sobre os serviços prestados, como históricos médicos, exames e receitas. 

A integração dos registros eletrônicos com ferramentas de automação também dá maior agilidade para a gestão dos dados, facilitando a análise e a troca de informações entre os profissionais de saúde. 

Os registros eletrônicos também têm sido exigidos por algumas legislações da área da saúde e farmacêutica. Um exemplo disso é a RDC 430 da Anvisa que exige o registro seguro de dados sobre o controle de temperatura e umidade de vacinas e medicamentos para garantir sua qualidade e eficácia. 

2 – Uso de dados (Big data) para acompanhar biomarcadores de doenças complexas 

Outra vantagem da transformação digital na saúde será sua contribuição para as jornadas de pacientes com doenças complexas

Um exemplo disso são as avaliações preditivas baseadas em biomarcadores, que permitem antecipar o risco, a progressão ou a resposta a uma intervenção terapêutica. 

Os biomarcadores são indicadores úteis para o tratamento de doenças complexas como o câncer, assim como doenças raras e doenças crônicas que exigem abordagens personalizadas. 

Essas análises podem ser realizadas com auxílio de algoritmos e inteligência artificial para processar grandes volumes de dados, permitindo identificar os biomarcadores mais relevantes para cada paciente e definir a melhor estratégia de tratamento. 

3 – Dispositivos que usam inteligência artificial e machine learning 

inteligência artificial

A Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning (ML) permitem analisar grandes bases de dados sobre serviços, pacientes e doenças, e se tornam ferramentas poderosas quando implementadas em dispositivos médicos

Essas tecnologias têm sido aplicadas em diagnósticos, tratamentos e no monitoramento de pacientes, assim como na prevenção doenças e nas pesquisas médicas. 

Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 155 novos dispositivos que usam inteligência artificial e machine learning em serviços e cuidados médicos foram aprovados pela FDA (U.S. Food and Drug Administration) no período entre agosto de 2022 e julho de 2023.  

A maioria dos dispositivos aprovados nesse período são das áreas de radiologia, cardiologia e neurologia, e são usados para realizar a coleta e a análise de dados com precisão, rapidez e confiabilidade, otimizando os diagnósticos e as intervenções necessárias. 

No entanto, o desenvolvimento dessas inovações também esbarra em desafios, como a garantia da ética, da privacidade, da transparência no uso dessas inovações, além da exigência de aprovação por parte de órgãos reguladores. 

Por isso, é necessário um trabalho conjunto entre profissionais de saúde, desenvolvedores e reguladores para que esses dispositivos contribuam para o avanço da saúde. 

4 – Medicina de precisão 

A medicina de precisão é uma abordagem que visa oferecer tratamentos mais personalizados aos pacientes, levando em conta as características individuais de cada um, como sua genética, seu histórico clínico e seu estilo de vida. 

Um dos seus fundamentos é o uso de dados de diversas fontes, como testes genéticos, exames laboratoriais, prontuários eletrônicos e até mesmo dispositivos vestíveis de monitoramento — como os mencionados no item 3 da nossa lista. 

Esses dados são analisados por meio de técnicas de machine learning que permitem identificar padrões, correlações e predições, algo otimiza a tomada de decisão clínica. 

Um dos exemplos mais notáveis de medicina de precisão é o uso de terapias gênicas personalizadas para tratar ou prevenir doenças causadas por mutações genéticas. Essas terapias requerem um mapeamento genético do paciente, que é um processo que identifica as variações genéticas que podem estar relacionadas à doença a ser tratada. 

A medicina de precisão é um avanço importante para terapias mais eficazes e adequadas a cada paciente e tem como uma grande aliada a produção flexível. Para entender melhor como elas se beneficiam mutuamente, confira o próximo item da lista. 

5 – Produção flexível na área da saúde 

Na área da saúde, a produção flexível é uma tendência que vem ganhando cada vez mais espaço, especialmente diante dos desafios impostos pela pandemia de covid-19. 

Com produções mais dinâmicas na indústria farmacêutica ou na produção de equipamentos médicos, é possível atender de forma personalizada às necessidades específicas de cada paciente, de cada profissional e de cada instituição de saúde. 

Alguns exemplos de produção flexível na saúde são a impressão 3D de próteses e equipamentos médicos, assim como a fabricação de medicamentos sob demanda, de acordo com o perfil genético e clínico do paciente. 

6 – Realidade virtual e realidade aumentada  

A realidade virtual (RV) e a realidade aumentada (RA) são tecnologias que permitem criar e interagir com ambientes virtuais, por meio de dispositivos como óculos, capacetes e luvas. 

Um dos possíveis usos dessas tecnologias é no treinamento de profissionais e estudantes da área da saúde, que podem simular procedimentos, cirurgias e diagnósticos de forma mais realista e segura. 

Outro uso possível é na reabilitação e a terapia de pacientes, que podem realizar exercícios, jogos e atividades que estimulam a recuperação física, cognitiva e emocional. 

Além disso, a RV e a RA podem ser usadas para o entretenimento de pacientes, que podem escapar do ambiente hospitalar e vivenciar experiências mais agradáveis e divertidas. 

Cirurgias robóticas remotas com 5G 

O avanço do 5G e sua baixa latência de rede deve contribuir para estudos e a realização cada vez mais frequente de cirurgias robóticas remotas (teleguiadas), ainda que hoje essa não seja uma realidade praticada amplamente. 

A realidade virtual ou aumentada também pode ser usada para treinar cirurgiões e permitir que eles pratiquem procedimentos complexos em um ambiente seguro e controlado, de maneira presencial ou remota, através de conexões com baixa latência

7 – Educação médica continuada 

A educação médica continuada é um processo de atualização e aperfeiçoamento profissional de médicos. Hoje, diante das constantes mudanças e avanços na área da saúde, a formação de profissionais nunca termina

Com a transformação digital, a educação médica continuada pode ser realizada por meio de diversas modalidades, como cursos à distância (EaD), conferências online, chamadas por aplicativo, podcasts e webinars

Essas modalidades oferecem maior flexibilidade e interatividade aos médicos, que podem escolher os temas, os horários e os formatos mais adequados às suas necessidades e preferências. 

A importância da educação médica continuada é ainda maior em um cenário de crescimento e diversificação da população médica no Brasil. 

Segundo o relatório Demografia Médica no Brasil 2023, elaborado pela Faculdade de Medicina da USP e pela Associação Médica Brasileira, o número de médicos no país deve dobrar nos próximos anos, passando de pouco mais de 500 mil em 2023 para cerca de um milhão em 2035. 

Diante dessa mudança, a educação médica continuada é essencial para garantir a atualização e a excelência dos serviços de saúde prestados. 

Tecnologia SyOS para a área da saúde 

Syos

Gostou da nossa lista com 7 tendências para a área da saúde? 

Se você é um gestor hospitalar ou farmacêutico interessado nas tendências e inovações mais recentes do setor, já sabe que o uso de dados e a automação de processos são indispensáveis para manter a competitividade no cenário de transformação digital da saúde

A solução da SyOS para o setor de saúde e hospitalar faz parte dessa transformação e auxilia empresas do setor a monitorar de forma automática a temperatura e a umidade de medicamentos em clínicas, hospitais e farmácias seguindo as normas da Anvisa. 

Entre em contato com o nosso time de especialistas SyOS para solicitar um teste e conhecer as vantagens da nossa tecnologia. 

Sobre a SyOS 

Somos uma startup que tem o objetivo de revolucionar a cadeia do frio no Brasil, através de tecnologias de IoT e Inteligência Artificial aplicadas no monitoramento de produtos que precisam de uma temperatura ideal para manter sua qualidade, como alimentos, vacinas e medicamentos.    

Com isso, empresas que atuam com a gestão do frio têm acesso a dados, relatórios e alertas que ajudam a tomar decisões para otimizar suas operações, evitar a não conformidade e reduzir prejuízos. 

Descubra mais sobre a SyOS ou entre em contato com o nosso time de especialistas para conhecer melhor nossa solução. 

Leave a Comment