10 tendências para o setor farmacêutico em 2024

O mercado farmacêutico é um dos setores mais dinâmicos e inovadores da economia. 

Essas características refletem em pesquisas recentes sobre o setor. Segundo um relatório da IQVIA, empresa referência em análises para o setor da saúde, o mercado farmacêutico deve crescer cerca de 9,7% em 2024, mantendo uma média entre 7% e 8% de crescimento até 2027. 

Essa projeção otimista se deve a fatores como a transformação digital e a velocidade da adoção de novas tecnologias, características demográficas do país — como o envelhecimento populacional — e também novos lançamentos de produtos. 

O desenvolvimento de novos medicamentos merece um destaque especial nessa mudança, devido ao uso cada vez mais eficiente de Evidências do Mundo Real (Real World Evidence – RWE) como complemento aos ensaios clínicos. O acesso a esse tipo de dado está mudando o ciclo de vida de produtos e permitindo maior segurança na análise de dados sobre o uso de medicamentos por parte dos pacientes. 

Mas nem tudo são flores no setor farmacêutico, afinal, há muitos desafios colocados na mesa. Um deles é a concorrência com produtos genéricos e biossimilares — e muitos terão sua queda de exclusividade nos próximos anos. Embora essa também seja uma oportunidade para empresas que querem explorar novos produtos com a queda dessas patentes. 

Além disso, as indústrias sofrem pressão pela redução de custos e pela adaptação às mudanças regulatórias, além de precisarem se adaptar às demandas de produtos e atendimento ao consumidor. 

Se você quer entender melhor esses desafios e conhecer as tendências que devem marcar o ano de 2024 no setor farmacêutico — assim como sua empresa ou área de atuação — continue a leitura desse Guia SyOS

1 – Mercado farmacêutico brasileiro no Top 5 global 

setor farmacêutico

Segundo dados da IQVIA, em 2022 o Brasil foi o 6º maior mercado farmacêutico com um faturamento de R$ 131,2 bilhões. 

Mas uma das principais tendências para esse ano é a consolidação do mercado farmacêutico brasileiro no Top 5 global — seja no consumo ou na produção de medicamentos ultrapassando a França, segundo uma projeção de crescimento da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). 

Esse crescimento deve se apoiar em tendências como o aumento da demanda por medicamentos biológicos, pela medicina de precisão, pela transformação digital e a digitalização dos serviços de saúde e de atendimento, assim como o lançamento de novos produtos

Para saber mais sobre o impacto do desenvolvimento de novos produtos no setor, continue a leitura. 

2 – P&D de medicamentos com Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) 

A pesquisa farmacêutica é uma atividade complexa, demorada e, principalmente, cara

Desenvolver medicamentos e vacinas é um processo que envolve várias etapas desde a descoberta até a aprovação de novas moléculas. Porém, as tecnologias de machine learning e o uso de big data devem otimizar esses processos cada vez mais. 

O conceito de big data se refere ao grande volume de dados gerados por diversas fontes, como dispositivos, sensores, redes sociais, registros médicos etc. Já o aprendizado de máquina ou machine learning se refere ao uso de inteligência artificial para analisar e aprender de forma automatizada — mas com supervisão humana — sobre essas grandes bases de dados.  

Veja de que maneiras essas tecnologias podem ajudar e acelerar a P&D farmacêutica

  • Identificar novos alvos, biomarcadores e candidatos a medicamentos, analisando dados genômicos ou de outras fontes; 
  • Otimizar o design e a síntese de novas moléculas, usando modelos que preveem a reatividade, a estabilidade, a solubilidade e a toxicidade das substâncias; 
  • Reduzir o tempo e o custo dos ensaios clínicos, selecionando os pacientes mais adequados, monitorando os resultados em tempo real e usando Evidências do Mundo Real (RWE) para complementar os dados dos estudos. 

Empresas farmacêuticas inovadoras que usam inteligência artificial 

Muitas empresas farmacêuticas, especialmente startups, também estão investindo em big data e inteligência artificial para inovar no desenvolvimento de novos medicamentos, inclusive para doenças raras e sem tratamento atualmente. 

Veja abaixo três exemplos de startups inovadoras no setor farmacêutico: 

  • BenevolentAI: empresa que usa machine learning para desenvolver novos medicamentos para doenças graves, como câncer, doenças neurodegenerativas e doenças inflamatórias. 
  • Recursion Pharmaceuticals: iniciativa que usa big data e machine learning para testar milhares de compostos em células humanas, usando imagens de alta resolução e algoritmos de visão computacional para identificar novos tratamentos para doenças raras e complexas. 
  • Healx: startup que usa big data e machine learning para encontrar novos usos para medicamentos existentes, focando em doenças raras que não têm tratamento aprovado. 

3 – Uso de Real World Evidence (RWE) e Real World Data (RWD) no setor farmacêutico 

Muitos profissionais do setor ainda não estão familiarizados com os conceitos de Evidências do Mundo Real (Real World Evidence – RWE) e Dados do Mundo Real (Real World Data – RWD). 

Esses conceitos devem ser cada vez mais frequentes no mercado farmacêutico, já que permitem acelerar o desenvolvimento de medicamentos e também melhorar a prestação de serviços de saúde

Os RWD — Dados do Mundo Real — são informações que se referem ao estado dos pacientes ou à prestação de cuidados de saúde e são coletados rotineiramente de diversas fontes, como prontuários eletrônicos, dados de financiamento de procedimentos, dados gerados pelos próprios pacientes, entre outros. 

Já as RWE — Evidências do Mundo Real — são evidências clínicas sobre o uso, os potenciais benefícios ou riscos de um produto médico, e são derivadas das análises dos dados do mundo real. 

Esse tipo de informação deve complementar cada vez mais os ensaios clínicos de medicamentos e vacinas — que são o padrão-ouro para avaliar a eficácia e a segurança desses produtos. Desse modo, o uso de evidências do mundo real deve auxiliar cada vez mais as avaliações pré e pós-avaliação de comitês científicos e órgãos regulatórios, tornado esses processos mais ágeis. 

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tem utilizado RWD e RWE para a tomada de decisões regulatórias, além da publicação de documentos que auxiliam profissionais, órgãos e empresas do setor como o Guia de boas práticas para estudos de dados do mundo real nº 64 (2023). 

4 – Medicamentos personalizados para grupos nichados 

Os medicamentos nem sempre são eficazes ou seguros para todos, pois há diferenças individuais na resposta aos tratamentos. Por isso, uma tendência na área de P&D é a personalização, que cria tratamentos mais adequados a cada paciente ou a grupos com alguma condição específica em comum. 

O uso de dados — principalmente big data — é essencial para esse tipo de desenvolvimento, pois identifica os fatores que afetam a eficácia e a segurança dos medicamentos, como o perfil genético, o histórico clínico, o estilo de vida e as interações medicamentosas. 

Terapia gênica personalizada 

Um exemplo de medicamentos personalizados são as terapias gênicas. Essas terapias têm sido usadas para tratar doenças raras, como a hemofilia, a distrofia muscular e a fibrose cística através medicamentos adaptados ao DNA do paciente ou ao DNA de um grupo com a mesma característica. 

Infográfico SyOS: 10 tendências para o mercado farmacêutico em 2024 

Está gostando dessa lista com 10 tendências para o mercado farmacêutico?

Então salve esse infográfico elaborado pelo time da SyOS para consultar ao longo do ano:

tendências setor farmacêutico

Agora, continue a leitura para conhecer melhor as outras tendências que vão impactar o setor farmacêutico nesse ano. 

5 – Plano Nova Indústria Brasil do Governo Federal 

Em janeiro de 2024, o governo federal lançou o plano Nova Indústria Brasil. Esse plano faz parte da política de estímulo o setor produtivo, incluindo as indústrias farmacêuticas brasileiras e as que estão instaladas no país. 

O setor de saúde é considerado estratégico para o desenvolvimento econômico e social do Brasil e, por isso, o governo federal pretende aumentar de 42% para 70% o percentual da indústria brasileira na produção de medicamentos, vacinas e equipamentos médicos. 

Isso deverá reduzir a dependência da importação de insumos e garantir tanto o abastecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto dos serviços privados, incluindo as farmácias. 

Veja alguns dos objetivos do plano Nova Indústria Brasil que vão favorecer o mercado farmacêutico brasileiro: 

  • Aumentar a produção nacional de insumos farmacêuticos ativos (IFA), que são a matéria-prima para a fabricação de medicamentos e vacinas; 
  • Incentivar a inovação e a pesquisa em áreas como biotecnologia, nanotecnologia e inteligência artificial; 
  • Promover a competitividade e a qualidade das empresas nacionais ou instaladas no país. 

Essas medidas devem auxiliar o setor farmacêutico a adotar novas tecnologias para se modernizar no contexto de transformação digital. 

6 – Programa Farmácia Popular reformulado 

Tanto o ambiente regulatório quanto as medidas governamentais têm influência importante nas movimentações do mercado farmacêutico, e em 2024 isso não será diferente. 

O Programa Farmácia Popular do Brasil é uma iniciativa do governo federal que busca ampliar o acesso a medicamentos essenciais para o tratamento de diversas doenças — como diabetes, hipertensão, asma, osteoporose, entre outras. 

Atualmente, o programa passa por uma reformulação, e deve priorizar a compra de medicamentos produzidos no Brasil como forma de estimular as indústrias farmacêuticas nacionais e reduzir a dependência de importações. 

Essa é uma oportunidade para indústrias, distribuidores e farmácias que verão sua demanda por serviços aumentando. Por outro lado, o programa também gera desafios, como a necessidade de investir em inovação, qualidade e competitividade, além de se adaptar às normas e regulamentações do setor. 

7 – Perda de exclusividade de medicamentos (Loss of Exclusivity – LoE), genéricos e biossimilares 

A perda de exclusividade (Loss of Exclusivity – LoE) de medicamentos afeta o mercado farmacêutico e traz oportunidades e desafios para as indústrias, e 2024 será um ano com a LoE de muitos medicamentos. 

Todo medicamento de referência é patenteado e pioneiro na aprovação por autoridades sanitárias. Entretanto, quando ocorre a queda da patente, a farmacêutica responsável perde a exclusividade de produção e comercialização. A partir daí, ela enfrenta a concorrência de medicamentos genéricos e de medicamentos biossimilares

Segundo um relatório da IQVIA, cerca de 49% dos medicamentos biológicos patenteados estão próximos da perda de exclusividade ou acabaram de passar pela queda de patente. 

O mesmo relatório projeta que, até 2028, uma fatia que representa 5,8 bilhões desse mercado deve perder exclusividade, abrindo espaço para exploração de produtos biossimilares. 

8 – Inovações na vacinação 

A vacinação é uma das medidas mais eficazes e seguras para prevenir e controlar diversas doenças infecciosas como a varíola, a poliomielite, o sarampo e a rubéola. 

Em 2024, os desafios nessa área envolvem investimentos em P&D, inovação tecnológica e ações para promover o acesso às vacinas

Segundo dados da consultoria MarketsAndMarkets, o mercado global de vacinas deve crescer de US$ 139,4 bilhões em 2021 para US$ 149,2 bilhões até 2026. 

Além disso, as vacinas são a quarta categoria de medicamentos que mais produzem receita para as indústrias farmacêuticas, por isso será necessário investir cada vez mais em transporte e distribuição adequados para esses produtos. 

Vacinas de mRNA 

Uma das grandes novidades na área de vacinação são as vacinas de mRNA, ou RNA mensageiro, que usam tecnologias que permitem acelerar as pesquisas e os testes clínicos. 

Essa tecnologia ganhou destaque durante a pandemia da covid-19, principalmente pela parceria entre a Pfizer e a BioNTech, que desenvolveram a primeira vacina de mRNA aprovada para uso emergencial no mundo. 

Veja algumas das vantagens das vacinas de mRNA em relação às vacinas tradicionais: 

  • São mais rápidas de produzir, pois não precisam de cultivo de células ou vírus; 
  • São mais seguras, pois não contêm o agente infeccioso inteiro ou atenuado; 
  • São mais versáteis, pois podem ser adaptadas para diferentes doenças por meio da alteração do fragmento de RNA; 
  • Tendem a ser mais potentes, pois induzem uma resposta imunológica mais duradoura. 

Novos métodos de aplicação: vacinas em spray nasal 

Outras inovações promissoras são as vacinas nasais e as vacinas em spray, que são administradas por via intranasal, e não pode via intramuscular ou subcutânea. 

Essas vacinas têm aplicação principalmente para doenças respiratórias, como a covid-19, a gripe, a tuberculose e a coqueluche, pois induzem uma resposta imunológica localizada nas mucosas, que são a porta de entrada desses agentes infecciosos. 

Além disso, essas vacinas têm outras vantagens, como: 

  • São mais fáceis e confortáveis de aplicar, pois não requerem agulhas ou seringas; 
  • São mais acessíveis e distribuíveis, pois sua aplicação é mais simples; 
  • São mais seguras, pois reduzem o risco de contaminação ou de reações adversas no local da injeção. 

9 – Expansão do varejo farmacêutico online 

O varejo farmacêutico online vem ganhando força nos últimos anos, especialmente após a pandemia da covid-19, que impulsionou a demanda por medicamentos e produtos de saúde pela internet

Segundo dados da IQVIA, as vendas online representavam 3,4% do varejo farmacêutico no primeiro trimestre de 2020, mas esse número subiu para 11,6% no primeiro trimestre de 2023. Em 2024, essa tendência deve continuar. 

Esse crescimento se deve a fatores como maior conveniência, praticidade e segurança das compras online, sem que os consumidores enfrentem filas ou aglomerações.

Além disso, as compras online permitem que os consumidores comparem preços, encontrem promoções, recebam orientações e esclareçam dúvidas por meio de canais digitais, aplicativos e chatbots. 

No entanto, o varejo farmacêutico online também enfrenta desafios, como a necessidade de cumprir as normas e regulamentações do setor, que envolvem questões como a prescrição médica, a rastreabilidade dos produtos, a logística de entrega e a proteção de dados. 

Por isso, é fundamental que as empresas que atuam nesse segmento invistam em tecnologia, qualidade e segurança para garantir a satisfação e a fidelização dos clientes. 

10 – Avanço da farmácia clínica 

O avanço do varejo online não impediu que o Brasil avance sua atuação em cuidados com saúde na farmácia clínica, apontada em muitos relatórios como uma área de crescimento pelo seu efeito positivo para o sistema de saúde como um todo. 

A farmácia clínica é uma área na qual os farmacêuticos prestam cuidados ao paciente, de forma a otimizar a farmacoterapia, promover saúde e bem-estar e prevenir doenças. 

Por conta disso, as farmácias estão se tornando verdadeiros centros referenciais de saúde, oferecendo diversos serviços clínicos que vão além da dispensação de medicamentos. 

Segundo dados da Abrafarma, o Brasil já possui cerca de 91 mil farmácias, e muitas unidades já oferecem algum tipo de serviço clínicos. Esses serviços incluem testes rápidos, vacinação, acompanhamento farmacoterapêutico, consulta farmacêutica, entre outros. 

Inove no setor farmacêutico com a SyOS 

2024, assim como os próximos anos, será um período de muitos desafios e oportunidades no setor farmacêutico. Por isso, para garantir a competitividade nesse cenário, é necessário acompanhar todas as movimentações do mercado e se adequar às que fizerem sentido para os seus negócios. 

A SyOS conhece bem esse desafio e desenvolve uma solução de monitoramento farmacêutico alinhada às melhores tendências para o setor em 2024. 

Nossa tecnologia monitora temperatura e umidade de vacinas e medicamentos em tempo real para que gestores da Qualidade tomem decisões baseadas em dados do mundo real em suas operações. 

Entre em contato com nossos especialistas para descobrir como a SyOS pode ajudar sua operação a ficar em dia com as novas tecnologias do setor farmacêutico. 

Sobre a SyOS 

Somos uma startup que tem o objetivo de revolucionar a cadeia do frio no Brasil, através de tecnologias de IoT e Inteligência Artificial aplicadas no monitoramento de produtos que precisam de uma temperatura ideal para manter sua qualidade, como alimentos, vacinas e medicamentos.    

Com isso, empresas que atuam com a gestão do frio têm acesso a dados, relatórios e alertas que ajudam a tomar decisões para otimizar suas operações, evitar a não conformidade e reduzir prejuízos. 

Descubra mais sobre a SyOS ou entre em contato com o nosso time de especialistas para conhecer melhor nossa solução. 

Leave a Comment