Sensores de temperatura: tipos, vantagens e como monitorar medicamentos e alimentos 

Se você está procurando sensores de temperatura para monitorar produtos farmacêuticos (vacinas, medicamentos, insulina etc.) ou produtos alimentícios, este guia preparado pela SyOS vai te ajudar a encontrar a melhor opção. 

Os sensores (principalmente aqueles que são conectados à internet) são cada vez mais usados por empresas que querem automatizar atividades ao mesmo tempo em que extraem informações importantes para uma gestão eficiente e baseada em dados. 

A inteligência de dados obtida a partir desse processo permite que os gestores se antecipem aos problemas e planejem estratégias robustas para suas operações. 

Segundo uma pesquisa da Edelman encomendada pela Microsoft em 2023, 98% das micro, pequenas e médias empresas (MPME) em processo de transformação digital observaram impacto positivo na adoção de tecnologias de digitalização e automação de processos em suas operações. 

Por isso, se você quer entrar para essa estatística e começar a usar sensores inteligentes que geram resultados e retorno sobre investimento positivo, confira esse guia da SyOS. 

Sensores de temperatura convencionais X Sensores de temperatura inteligentes 

sensores de temperatura

Os sensores ou monitores de temperatura são dispositivos que medem a variação de calor em um ambiente, principalmente a temperatura do ar. 

Eles são muito úteis para diversas aplicações. Na área da saúde, por exemplo, são usados para o controle de qualidade farmacêutico, assim como no monitoramento de insumos importantes para a saúde, como insulinas e bolsas de sangue. 

No setor alimentício, eles são usados para evitar a perda de características que conferem qualidade aos produtos, como textura e sabor, e também para garantir a validade desses produtos, evitando a proliferação de microrganismos e o eventual descarte de alimentos. 

O tipo de sensor usado nesses setores influencia na forma como os processos serão organizados e nos resultados obtidos. 

Por isso, é importante conhecer essa diferença antes de optar por uma tecnologia na sua operação. 

Sensores de temperatura convencionais: falta de conectividade e pouca inteligência de dados 

Os sensores de temperatura convencionais podem ser de vários tipos, dependendo da forma como captam e transmitem os dados

A principal limitação dos sensores convencionais é a falta de conectividade, ou seja, eles não têm acesso à internet. 

Isso significa que os dados coletados precisam ser registrados manualmente ou transferidos de um dispositivo para outro, o que pode gerar atrasos, erros ou perdas de informação

Veja alguns exemplos de sensores convencionais: 

  • Sensor de temperatura digital e/ou automático: informa os dados em um display ou armazena em cartões de memória ou discos rígidos. 
  • Sensor de temperatura manual: termômetro infravermelho (pistola infravermelha ou pirômetro) que exige a presença de um operador para fazer a leitura e registrá-la de forma manual em planilhas de temperatura ou fichas de registro. 
  • Data logger de temperatura: capta os dados (sem exibi-los em um display) para serem coletados posteriormente. 

Sensores de temperatura inteligentes: conectividade com IoT e big data 

sensor de temperatura Syos

Os sensores de temperatura inteligentes são aqueles que combinam automação, conectividade e inteligência de dados. Por isso eles são considerados dispositivos de Internet das Coisas (IoT). 

Esses sensores permitem que os gestores analisem grandes bancos de dados (big data) pra uma gestão eficiente do frio entregue aos produtos sensíveis. 

Esses sensores registram os dados automaticamente e os enviam diretamente para a internet, tornando-os online e visíveis imediatamente.  

Além disso, eles podem ser integrados a plataformas de gestão de dados, que permitem o acompanhamento em tempo real, a geração de relatórios, a emissão de alertas, entre outras funcionalidades.  

A vantagem de um sensor inteligente é oferecer mais praticidade, confiabilidade e eficiência para o monitoramento da temperatura, além de possibilitar a análise de dados e a tomada de decisão baseada em evidências

Por isso, os sensores inteligentes são considerados uma tendência para o futuro do controle de temperatura farmacêutico ou alimentício

Onde os sensores de temperatura inteligentes são usados 

A transformação digital e a indústria 4.0 estão tornando os sensores inteligentes onipresentes em ambientes industriais, mas também nos serviços logísticos e nos serviços de atendimento ao consumidor, já que o monitoramento de temperatura precisa ser contínuo. 

Veja abaixo alguns exemplos da aplicação dos sensores inteligentes no setor farmacêutico e no setor alimentício. 

Sensores de temperatura na indústria farmacêutica 

A indústria farmacêutica é uma das mais importantes e reguladas do mundo, pois lida com a saúde e o bem-estar das pessoas. 

Empresas dessa área estão sempre em busca de inovação, qualidade e eficiência. Nesse sentido, a indústria 4.0 chegou para contribuir positivamente nesse desafio. 

É importante destacar que, além das condições ambientais, sensores inteligentes também podem monitorar o funcionamento de equipamentos — vibrações, aberturas de portas e consumo de energia — contribuindo para a eficiência, a economia e a sustentabilidade da indústria. 

Sensores de temperatura na indústria alimentícia 

O setor alimentício é um dos que mais se beneficia da indústria 4.0, pois enfrenta desafios como a garantia da segurança alimentar, a redução do desperdício, a adaptação às mudanças climáticas e a satisfação dos clientes. 

Os sensores inteligentes permitem monitorar diversos parâmetros na indústria alimentícia, como temperatura e umidade, mas também a pressão, a vibração e a luz, contribuindo para o trabalho do controle de qualidade

Sensores de temperatura no transporte de medicamentos e alimentos 

transporte de medicamentos

O transporte de medicamentos ou alimentos é uma atividade que exige cuidados especiais, pois envolve produtos que podem ser afetados por variações de temperatura. 

Por isso, é fundamental contar com tecnologias que permitam monitorar os trajetos de distribuição, garantindo que os produtos cheguem ao destino final em condições adequadas. 

Além disso, eles permitem integrar a cadeia logística por meio do compartilhamento de dados. Isso significa que todos os envolvidos no processo de transporte tenham informações sobre a localização, a temperatura e a integridade dos produtos. 

Normas para o monitoramento do transporte de medicamentos 

O setor farmacêutico é um dos que mais se beneficia dos sensores inteligentes no transporte, pois tem normas específicas sobre o transporte de produtos com controle de temperatura e umidade, como as RDC 430 e RDC 653 da Anvisa

Essas normas estabelecem as Boas Práticas de Distribuição, Armazenagem e Transporte de Medicamentos — como vacinas, termolábeis e medicamentos biológicos — exigindo que esses produtos sejam mantidos em condições adequadas desde a saída da fábrica até o recebimento pelo consumidor. 

Sensores de temperatura em clínicas, hospitais e laboratórios 

Clínicas, hospitais e laboratórios também precisam adotar medidas para monitorar e controlar a temperatura de medicamentos e vacinas usados em seus serviços. 

Os medicamentos termolábeis, por exemplo, devem ser mantidos sob refrigeração, entre +2°C e +8°C, para preservar as suas propriedades. 

Os grupos dos termolábeis inclui imunobiológicos, soros, antineoplásicos e alguns antibióticos que, se não forem armazenados corretamente, perdem sua eficácia

Sensores de temperatura em supermercados 

Os supermercados armazenam uma grande variedade de alimentos, desde produtos frescos até congelados.  

Os sensores inteligentes permitem monitorar a temperatura em diferentes pontos do supermercado, como câmaras frigoríficas, ilhas de congelados, expositores de bebidas e estufas de alimentos.  

Com o monitoramento contínuo, é possível manter a qualidade dos alimentos, evitando que estraguem, percam o sabor, a cor, o aroma ou a textura. 

Além disso, é possível reduzir perdas e desperdícios que gerariam prejuízos financeiros e impactos ambientais. 

Outro benefício do uso desse tipo de tecnologia é a garantia de conformidade com as legislações vigentes e a satisfação dos clientes, que podem comprar alimentos seguros e frescos. 

Teste os sensores de temperatura inteligentes da SyOS 

monitoramento de temperatura e umidade

A SyOS desenvolve sensores inteligentes para monitorar a temperatura de produtos perecíveis no setor farmacêutico e no setor alimentício

Nossos sensores de temperatura e umidade são conectados à internet e enviam dados para um dashboard de indicadores visível em tempo real. 

Entre em contato com nosso time de especialistas e teste a solução de monitoramento SyOS na sua operação. 

Sobre a SyOS

Somos uma startup que tem o objetivo de revolucionar a cadeia do frio no Brasil, através de tecnologias de IoT e Inteligência Artificial aplicadas no monitoramento de produtos que precisam de uma temperatura ideal para manter sua qualidade, como alimentos, vacinas e medicamentos.    

Com isso, empresas que atuam com a gestão do frio têm acesso a dados, relatórios e alertas que ajudam a tomar decisões para otimizar suas operações, evitar a não conformidade e reduzir prejuízos. 

Descubra mais sobre a SyOS ou entre em contato com o nosso time de especialistas para conhecer melhor nossa solução. 

Leave a Comment